terça-feira, janeiro 15, 2008

Nublados de chuva

Desfilo por imensas ruas,
labirintos mal desenhados
onde não se distingue nada,
nem corpos.

Pálidas casas ou muros altos.
Uma velhinha caminha,
curvada pelo peso dos anos e o vento,
o vento assopra,
fazendo redemoinhos nas esquinas,
pequenos castelos.

Além do horizonte, o tempo.
Desenho frágil em minha face,
as rugas, os olhos
já nublados de chuva.
Assim caminho.

Um comentário:

*BECA* disse...

Belas palavras! Percebe-se que és muito sensível...
Parabéns!
Rebeca.