domingo, fevereiro 11, 2007

O molde e a prática

Pensando em São José do Rio Preto


Protejo-me atrás dos sansões-do-mato
Sentado onde as brancas cantarias desenham arcos
Locais íntimos destacam-se sob a luz
Diluindo-se em pontas, minúsculas gotas
Manchando a pele, o passeio
Recuperando a alma polida, como as pedras
Desbastada alma recuperada pelos incertos atalhos
Poemas de vida e morte
Sozinhos entre as abelhas
Comigo, apenas, e o vasto céu.

07.12.2002.

4 comentários:

livia disse...

oi.conhecendo o seu espaço.Apenas para ler e ler e continuar lendo com imenso prazer da poesia.Voltarei sempre.

Juliana Marchioretto disse...

linda foto.

beijo

Mary, cabeçadesexta disse...

Lindo poema!
E adorei a imagem também! ;)

Beijoss

Betty Branco Martins disse...

Lindo o teu poema.

"gotas
Manchando a pele, o passeio
Recuperando a alma polida, como as pedras"

...nas mãos
o que falava da memória
olhando o tempo
com a cor das pedras...

Beijo com carinho