terça-feira, dezembro 04, 2007

Exercício 3 - A noite azul e plena

Aparentemente a cena é plana:
murmúrios e servos,
hunos e trincheiras.

O forte é avisado, destacado
no meio da noite azul e plena.
Somos gente, peculiares pontos.

No interior a explosão
lamento de nomes, combates
e não há lugar tão secreto.

Em direção ao front, rios
de ferro cruzam a carne:
entre lágrimas não há valia.

Resta a mim mesmo,
soldado à beira da fuga.

Um comentário:

BLOG DO SIMAO disse...

caro amigo, gostei muito da alma desse texto, ... murmúrios e servos, hunos e soldados e ferro que cruzam a carne -soldado à beira da fuga ... Bem que me lembrei: eu poderia ser também ainda um desses bárbaros caminhando no processo inverso à civilização, agora cristã, é claro.

abrç, simao