quarta-feira, maio 21, 2008

Céu de alecrim

Viajante
Ando por estradas de pedras
Anseio paradas, mulheres lindas
Água fresca e uma sombra profunda.

Viajante
Nada me pára, nada me detalha mais
O horizonte que meus olhos
De homem abismado.

Viajante
Me calo, surdamente, diante
Dos inúmeros santos, homens
Diferentes de mim, homens
Puros em sua essência.

Viajante
Me perco entre verdes e sombrias
Serras, lagos, rios, palavras
Que me devoram devagarinho.
Crepúsculos vermelhos
Caindo do céu de alecrim.

3 comentários:

Bruxinhachellot disse...

És viajante e caminhas em terras internas de seu ser. Na mala carregas poesias, sentimentos.

Beijos de Sol.

~pi disse...

linda a chuva...:)

pin gente disse...

bonito o céu de alecrim
na tua viagem sem fim


abraço
luísa