segunda-feira, fevereiro 04, 2008

Imagem d'água

Era tão leve
que se divida em espirais
um astro
mostrando músicas
nunca inventadas.
Era tão leve
que mesmo ventando
agarrou-se
ao grão suculento
da horta
e misturou-se
notas desenhadas
por um toque
ameno de momento.

12 comentários:

Martinha disse...

Lindo... simplesmente... lindo (:

pin gente disse...

sabia que a água canta nas chuvas
nas poças que encantam os meus olhos
nelas vejo mil folhas vestidas de amarelo
que numa dança de amor dançam em molhos

se a melodia soar dos chãos molhados
suavemente dedilhada por infantas mãos
aos céus me levará em seres alados
e neles me perderei com meus irmãos



gostei muito do que vi. li e senti (e o sentir é só meu, não é?)
volte sempre

ps - apoveito para dizer que, caso não tenha reparado, o pin gente cresce abaixo do primeiro post.


abraço
luísa

Gi disse...

Já passei por aqui esta tarde. A porta estava aberta e fui entrando. Devagarinho. estive a apreciar a beleza das imagens e as tuas palavras. Gostei.

Voltei porque não consegui comentar e tinhya que agradecer a tua visita e a gentileza das tuas palavras. Obrigada. Volta sempre, és bem vindo

Um beijinho,

Vieira Calado disse...

Está interessante.
Principalmente a esta hora, pelo menos por cá, em que já todos estão leves, dos copos de Carnaval. Um abraço.

Hanah disse...

Lindo ...


Abraço grande

Boa semana ...

Carla disse...

A leveza destas "notas" tornam especial o momento da sua leitura

~pi disse...

~


vi!...:)

ivone disse...

bonita a foto

simples o texto
bonito também

un dress disse...

basta procurár o toque ameno:

um todos os dias...

rendadebilros disse...

Belas fotos e palavras...
Obrigada pela visita...
Apareça mais vezes.
Um abraço.

Nilson Barcelli disse...

No seu blogue, encontrei poesia muito boa, bem sublinhada por belas fotos.
Este excelente poema � disso exemplo.
Gostei do seu blogue, voltarei.

Obrigado pela sua visita. Penso que ter� sido a primeira vez que comentou. Volte sempre.

Abra�o.

impulsos disse...

Senti o teu toque ameno...
Vi-o no espelho reflectido
Das águas calmas do lago...

Beijo