terça-feira, junho 16, 2009

De tardezinha, no bairro

(Foto de Mauro Pereira da Silva)
Clique na imagem para aumentar


O maduro da tarde desliza para sempre.
Parece anêmonas dentro do mar,
Nuvens intactas deslizando através da abertura
In loco das portas do céu, pintadas ninguém sabe.
É um espetáculo medonho de cores e sabatinas.
Concertos e madrigais construindo cantatas,
Flautas de musgos, cadeiras em mármore
Linhas insones mordendo casulos anacoretas
E pontos encardidos de sol passam em flash.
Olhos grandes e sérios pintam retratos, devagar,
Corpos de meninas, corpos de ninfetas, sem esmorecer,
Passam diante de mim, estremecidos pelo sol.
Sorrisos cintilam, temperados.

Um comentário:

Mary Pepi disse...

Hermosa foto.